19 de junho de 2017 Lelo 0Comment

Peruada!

Adoro essa nova vibe de pessoas que buscam seus direitos. É muito importante para o desenvolvimento de empresas e de fabricantes, mas é necessário que se tenha bom senso.

No dia 15/06/2017 uma participante do Grupo do Facebook fez uma postagem na qual se sentia lesada, pois ao verificar o valor do relógio que comprou na loja Ponto Com no site descobriu que pagou U$ 30,00 a mais na loja física.

Logo após a postagem, começaram acusações e ideias de jerico baseadas em leis brasileiras:

Entendam, as leis do Brasil não se aplicam no Paraguai, então não falem o que é costume por aqui pois nem sempre é a mesma coisa lá. Inclusive a pessoa que respondeu a acusação de extorsão está correta, no Brasil comércio de loja física e virtual podem praticar valores diferentes.

Se tratando de uma reclamação de uma loja que é parceira do blog, eu sempre vou ajudar. Esse é um dos pontos frizados quando eu concordo em fazer publicidade para alguma loja.

Então mesmo sendo fora do horário de trabalho eu avisei o pessoal da loja que prontamente respondeu, deixando a PYnk mais calma:

E no dia seguinte…

Vejam os detalhes:

 

 

Entre mortos e feridos, salvaram-se todos…. MAS no final veja o que a moça me disse:

Quer dizer, na hora de chutar o pau da barraca e fazer uma reclamação pra mais de 40 mil pessoas ela teve disposição de escrver.

Na hora de pedir desculpas e explicar o acontecido, um comentário apenas – perdido dentre vários – bastava.

Não filhota, não tem a mesma visibilidade. Quando isso acontecer com você (era um perfil de empresa) acredito que compreenderá a importância.

Eu tomo o cuidado de selecionar as empresas divulgadas aqui, porque eu tenho interesse de que quem venha até o Paraguay tenha a melhor experiência possível. Problemas acontecem, por falhar diversas, humanas ou não. O que é importante é a maneira que a pessoa é tratada.

Muito obrigado Bea e Ponto Com pelo respeito e profissionalismo.

#Bença!