Dicas pro Turista

Nem tudo eh cor de rosa.

12 de janeiro de 2013 Lelo 13Comment

Olá pessoal.

Eu me senti na obrigação de falar sobre um caso ocorrido hoje por aqui.

Ainda que eu considere um caso isolado, visto que é a primeira vez que eu ouço algo assim em 20 anos, eu acho que este blog tem que estar com vocês de forma completa. Tentando ser imparcial, na alegria e na tristeza.

Texto completo extraído de:

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?tl=1&id=1335268&tit=Morre-turista-gaucha-baleada-na-Ponte-da-Amizade

“A turista gaúcha que foi baleada no abdômen em uma tentativa de assalto na Ponte da Amizade, que liga Foz do Iguaçu ao Paraguai, na manhã deste sábado (12), morreu por volta das 16 horas. Ela chegou a ser operada, mas não resistiu à forte hemorragia provocada pelo projétil que atingiu o intestino, a bexiga e uma artéria na altura da coxa. A família da turista está a caminho da cidade. Noiara Elisabete Bonatto de Souza, de 26 anos, deixa uma filha de sete anos.

De acordo com informações preliminares da Polícia Civil de Foz, que dá apoio ao caso, Noiara estava acompanhada do namorado, o veterinário Diego Ramires de Freitas, e eram seguidos por um grupo de quatro pessoas do Rio Grande do Sul que atravessavam a ponte para fazer compras no Paraguai. Ela teria sido baleada já na parte paraguaia da ponte e na sequência foi dada a voz de assalto.

O casal é de Passo Fundo e não fazia parte do grupo de gaúchos que o seguiam, que eram de Getúlio Vargas, na mesma região.

Testemunhas

Um homem, que pediu para não ser identificado, viu toda a ação. Segundo a testemunha, foi possível identificar três indivíduos suspeitos na mesma região da ponte. Um homem, que aparentava ser menor de idade, passou pelo grupo e surpreendeu o casal: ele atirou na mulher e deu voz de assalto.

O tiro atravessou a barriga da gaúcha e os estilhaços atingiram a perna de uma das testemunhas. Ainda de acordo com o homem, mesmo com a confusão formada pelo tiro, o assaltante continuou pedindo dinheiro. Ele deu R$ 4 mil para o bandido, que fugiu, enquanto o grupo se ocupou de socorrer Noiara.

A testemunha conta que o assaltante e seus dois comparsas pularam a grade de proteção que separa carros de pedestres e montaram na garupa de um mototáxi paraguaio e seguiram em direção ao Brasil. A placa da moto foi anotada e a polícia faz buscas pelo veículo.

Enquanto isso, o grupo carregou a turista baleada no colo até o lado paraguaio, onde pegaram um van e a levaram para o Hospital Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu. O grupo pediu ajuda no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que prestou os primeiros atendimentos e repassou o caso para a Polícia Civil.

Noiara foi transferida para o Hospital Municipal, onde passou por uma cirurgia, mas não resistiu. O namorado da turista já prestou depoimento e descreveu o assaltante à Polícia Civil de Foz. As outras testemunhas do crime também prestaram depoimento durante a manhã.

Como o tiro foi disparado no lado paraguaio da ponte, a investigação do assalto e tentativa de homicídio fica por conta da Polícia Nacional Paraguaia, mas a polícia brasileira está dando apoio ao caso.

Câmeras

No início da tarde, o prefeito de Foz do Iguaçu Reni Pereira esteve no Hospital Municipal acompanhado da esposa, Cláudia Pereira, e do secretário de Saúde, Odair José Silve. “Vim saber como ela (Noiara) está e prestar solidariedade aos familiares. Estamos à disposição para o que precisarem. A polícia está em diligência procurando os envolvidos e tenho certeza que o caso será solucionado o mais rápido possível.”

Mais cedo, o delegado Getúlio Vargas informou que as imagens das câmeras de segurança instaladas na região da ponte seriam solicitadas à Guarda Municipal. “Essas imagens podem nos ajudar a identificar os assaltantes e em que direção fugiram. Uma das testemunhas anotou o número da placa de uma das motos paraguaias usadas na fuga. Não temos acesso ao cadastro dos veículos de lá. Caberá à polícia paraguaia levantar as informações.””

12/01/2013 | 16:30 | KATNA BARAN, ESPECIAL PARA A GAZETA DO POVO, FERNANDA TRISOTTO E FABIULA WURMEISTER, DA SUCURSAL DE FOZ DO IGUAÇU

À família de Noiara, nossos sentimentos.

Até breve,

Marcelo

PS: Perdoem-me pelo “eh” tão informal no título, mas naquele campo eu não consegui utilizar acentuação.